Meu querido Erasmus. Intercâmbio como Produção Cultural

Meu querido Erasmus. Intercâmbio como Produção Cultural

Comentários desativados em Meu querido Erasmus. Intercâmbio como Produção Cultural

O presente trabalho pretende analisar o fenômeno contemporâneo dos
intercâmbios e como essas experiências afetam diretamente a formação de
novos sujeitos e sua visão do mundo. Meu Querido Erasmus investiga as
trocas, descobertas acerca do contato com pessoas de diferentes
nacionalidades e vivências, identidades culturais e busca entender em quem se
transforma o sujeito que vive esses afetos de maneira intensa, esse ser
Erasmus, antropofágico, aberto, a possível representação do Ser pós-moderno,
o agente que conserva suas características pátrias e subjetivas, mas, passa a
ser um pouco de cada canto, um pouco de cada um, sendo, por isso, um
cidadão do mundo, que compreende as diferenças de cada indivíduo. O
trabalho também busca entender como o intercâmbio poderia influenciar o
comportamento dos estudantes depois de viver essa experiência.

Cultivando em solos férteis: O Projeto Solos Culturais e a potência juvenil como transformadora da sociedade.

Comentários desativados em Cultivando em solos férteis: O Projeto Solos Culturais e a potência juvenil como transformadora da sociedade.

Este trabalho de pesquisa tem por objetivo apresentar e questionar os processos atravessas
pelo programa Solos Culturais, promovido em 2012 pelo Observatório de Favelas, na Maré.
Tratava-se de um curso que previa a formação de jovens selecionados entre 15 e 29 anos em
Produção Cultural e Pesquisa Social, tendo durado cerca de dez meses. Seguindo a linha
filosófica e de atuação do Observatório, o programa Solos Culturais buscou atuar na produção
de conhecimento, prático e teórico, e integrar em uma luta pela superação de estigmas
sofridos pelo jovem da favela. Entendendo o território da favela sendo comparável a um “solo
fértil”, rico em cultura e propício ao desenvolvimento das linguagens e expressões ali
existentes. A esses jovens, a quem o programa denominou como “Solistas”, eram mostrados
conceitos e categorias diversos dentro da temática da cultura e das políticas públicas culturais
e, a partir disto, aqueles alunos era convidados a realizar intervenções culturais nos territórios
em que residiam e a compreender que era seu direito, enquanto cidadãos, contribuir com
interferências positivas, cultural e politicamente, onde mora e na cidade em que vive e de
onde costuma ser segregado, apropriando-se daquilo que é seu por direito. Tudo isto é
pensado através de um Projeto Político-Pedagógico aliado à aplicação de uma metodologia
formativa específica e característica desta organização social, que traz consigo a preocupação
não somente com o exercício de direitos culturais destes jovens, mas sociais e políticos
também. No momento da aplicação desta metodologia, diversos conflitos e tensões aparecem
e acabam dando conta de mostrar algumas falhas no processo prático deste projeto, que são
inerentes a certos conflitos e tensões intrínsecos ao mundo moderno e também ao fato de ser
um projeto, de certa forma, ainda embrionário, que estaria ainda em sua primeira edição.
Ademais, analisa-se o propósito desafiador que o programa traz e que implica em certo
investimento ideológico em jovens, que o programa admite que, por serem potencialmente
criativos, têm nas mãos o poder de intervir no cenário social de que fazem parte através da
administração e aplicação destas potências em seu cotidiano.

O retrato da moda pelo Impressionismo

O retrato da moda pelo Impressionismo

Comentários desativados em O retrato da moda pelo Impressionismo

O Impressionismo e a Moda estiveram por muito tempo interligados porém sem seu
elo explícito. Gloria Groom, idealizadora e curadora da exposição L’Impressionisme et la
Mode, apresentada primeiramente no museu D’Orsay em Paris, França, foi capaz de ter
essa percepção que hoje considero tão notória e nítida. O presente trabalho de monografia
recapitula a história e contexto do movimento Impressionista, assim como a história da
moda, em seguida, trazendo essa ligação para os dias de hoje, baseia-se na teoria da
economia da cultura, mais precisamente no âmbito da economia criativa e então, posiciona
o tema na atualidade, bucando inspirações da moda no Impressionismo e explicitando a
importância do produtor cultural na inteceção entre movimentos artísticos, que nesse caso
são as artes plásticas e a moda.

Uma primitiva e mágica visão de mundo: A Relação Eu-Tu e a Experiência Estética na Educação Ambiental

Uma primitiva e mágica visão de mundo: A Relação Eu-Tu e a Experiência Estética na Educação Ambiental

Comentários desativados em Uma primitiva e mágica visão de mundo: A Relação Eu-Tu e a Experiência Estética na Educação Ambiental

No contexto das discussões sobre o meio ambiente e a preservação do planeta, o presente trabalho irá pesquisar a situação da educação ambiental nos dias atuais, analisando a maneira como é vista e trabalhada pela sociedade, os governos e profissionais da área.
Propõe-se uma nova maneira de pensá-la, de modo que se foque menos na pura transmissão de conteúdos e mais na experiência e na percepção, partindo da realocação, da reinserção do ser humano no mundo, para que ele possa vivenciar esteticamente o mundo que habita, sendo transpassado pelas diversas percepções que dai resultam e assim despertar sua relação com o mundo vivido, com o ambiente do qual faz parte. Dessa forma, tenta-se, através da experiência estética, o desafio de recuperar no humano o sensível, o afetivo, o pré-reflexivo, e assim encontrar uma nova forma de relacionar-se com a natureza, pautada nas percepções e no encantamento que essa pode causar. Mudar a maneira do homem se ver e se relacionar com o universo do qual faz parte, diluindo a separação sujeito-objeto, para uma percepção global e uma vida em diálogo. O objetivo final do trabalho não é dar fórmulas de ação, mas levantar uma discussão. Mostrar a importância e abrangência do tema, fomentar uma reflexão mais profunda dos reais problemas enfrentados, para que os profissionais da área possam, juntos, pensar novas saídas e soluções para se alcançar os diferentes objetivos almejados.

O uso da cultura como recurso para uma mobilização social no território periférico.

O uso da cultura como recurso para uma mobilização social no território periférico.

Comentários desativados em O uso da cultura como recurso para uma mobilização social no território periférico.

Esta monografia investiga a relação da Cultura com os territórios periféricos, bem como os sujeitos e processos sociais que permeiam essa relação. O Instituto Raízes em Movimento, localizado no Complexo do Alemão – Rio de Janeiro será o objeto de estudo desse trabalho e ilustrará como as práticas culturais são utilizadas como recurso para uma mobilização social.

Turismo cultural: Identidade, Imagem e Patrimônio Cultural no caso de Paris

Turismo cultural: Identidade, Imagem e Patrimônio Cultural no caso de Paris

Comentários desativados em Turismo cultural: Identidade, Imagem e Patrimônio Cultural no caso de Paris

O Turismo Cultural enquanto propulsor de trocas no campo da Produção Cultural contemporânea: nós estudaremos no quadro desta monografia o caso da cidade de Paris. A capital histórica da República Francesa se apresenta aqui como um modelo a ser seguido no panorama do Turismo Cultural, no âmbito que envolve os conceitos de turismo e cultura.
A proposta do estudo aqui apresentado é de analisar a forma pela qual estes conceitos se encontram entrelaçados e saber por meio de quais ferramentas o Turismo Cultural incentiva e desenvolve a produção cultural local. Ainda, então, será analisada a principal ferramenta para que o processo seja alcançado de forma exemplar: o Marketing Territorial. Ao traçar um histórico e análise a respeito deste processo, o desenvolvimento do Turismo Cultural será inserido no panorama da capital cultural mundial: Paris.
Analisaremos os conceitos e aplicações dos produtos culturais definidos; suas expressões em âmbito mundial; a identidade cultural local; o patrimônio histórico cultural material e imaterial; produtos culturais e suas imagens; a transmissão da imagem local por meio do Marketing Territorial; o estereótipo da cidade de Paris; as trocas culturais e contato com identidades culturais diferentes que são permitidas através do Turismo Cultural.
Será apresentado um breve panorama do Turismo Cultural em geral, e sua aplicação no caso a ser analisado: O que é o Turismo Cultural? Qual a conexão entre Turismo e Cultura? Quais ferramentas ele utiliza para se desenvolver? Como ele pode ser entendido como parte essencial de determinada cultura e produção cultural local? Por meio de que “produtos culturais” o patrimônio cultural de Paris se apresenta neste âmbito? Qual a expressão da imagem de determinada localidade para o seu desenvolvimento turístico e cultural?

A moda e a mídia sob a ótica do reality show esquadrão da moda

A moda e a mídia sob a ótica do reality show esquadrão da moda

Comentários desativados em A moda e a mídia sob a ótica do reality show esquadrão da moda

O presente trabalho analisa o reality show de transformação Esquadrão da Moda, a partir de um olhar lançado sobre a moda como fenômeno cultural e sobre um estudo dos realities shows, atrelando os sentidos de modernidade e cultura do consumo e midiática, e como eles influenciam as formações de narrativas presentes no programa. O trabalho também busca colocar como essas narrativas acabam por reforçar, alavancadas pela mídia, determinados moldes de padrões sociais, que acabam dividindo os sujeitos em categorias aceitas ou não-aceitas pela sociedade.

Cultura e Identidade: O papel do intercâmbio internacional no processo de percepção do outro e de si mesmo

Cultura e Identidade: O papel do intercâmbio internacional no processo de percepção do outro e de si mesmo

Comentários desativados em Cultura e Identidade: O papel do intercâmbio internacional no processo de percepção do outro e de si mesmo

Este trabalho trata do convênio de intercâmbio internacional do ponto de vista da Produção Cultural. Assim sendo, buscou-se uma reflexão acerca de temas importantes como a cultura e a identidade. Começando pelas definições básicas de cultura, a pesquisa passa pela modernização e pela discussão do papel da universidade na produção e consolidação da mesma. No que se refere à identidade, foram trabalhados temas como Identidade Cultural, estereótipo e preconceito. Após essa reflexão, foi feito um estudo de caso sobre o meu próprio período de intercâmbio realizado no ano de 2010 através da Universidade Federal Fluminense. O estudo de caso consta de uma breve comparação entre a Suécia e o Brasil, um mapeamento dos convênios de intercâmbio internacional da Diretoria de relações Internacionais da universidade e finaliza o trabalho com considerações pessoais sobre o convênio.

Reestruturação do portal do curso de Produção Cultural

Reestruturação do portal do curso de Produção Cultural

Comentários desativados em Reestruturação do portal do curso de Produção Cultural

Este trabalho descreve o processo de releitura e construção do Portal do Curso de Graduação em Produção Cultural do Instituto de Arte e Comunicação Social da Universidade Federal Fluminense. São abordados os principais aspectos e as influências que contribuem para o projeto e a construção de um espaço virtual na rede mundial de computadores, com as características acadêmicas que envolvem um curso de produção cultural. O trabalho apresenta considerações sobre o ambiente digital, a internet, os seus principais elementos de interação com o usuário, definição de conteúdo e visibilidade.

As cidades do conhecimento e da cultura. Um novo olhar sobre as cidades do século XXI

As cidades do conhecimento e da cultura. Um novo olhar sobre as cidades do século XXI

Comentários desativados em As cidades do conhecimento e da cultura. Um novo olhar sobre as cidades do século XXI

Este trabalho põe em questão as diversas formas em que as cidades já foram vistas e pretende levantar a discussão sobre como construiremos as cidades do século XXI. Neste sentido, para se perceber a importância dos conceitos de Cidade do Conhecimento e da Cultura como possíveis alternativas para uma nova visão de cidade bem como para a construção da mesma, é fundamental falar sobre a evolução das cidades, sobre as problemáticas urbanas atuais e sobre a revolução tecnológica vivida nas últimas décadas.