Projeto Cineclube luzes da cidade

Projeto Cineclube luzes da cidade

Comentários desativados em Projeto Cineclube luzes da cidade

O presente trabalho apresenta a proposta para realização do projeto Cineclube Luzes da
Cidade. O dossiê que precede o projeto visa conhecer e analisar a população de rua e as
ferramentas principais que compõem o projeto: o vídeo participativo e o cineclube, como
práticas de imputação de sentido. No projeto em si são expostas as estratégias para viabilizar a
realização de todas as etapas do processo de produção.

COMÉRCIO DA FAMA: Um panorama histórico sobre o fenômeno da celebridade

COMÉRCIO DA FAMA: Um panorama histórico sobre o fenômeno da celebridade

Comentários desativados em COMÉRCIO DA FAMA: Um panorama histórico sobre o fenômeno da celebridade

A partir da análise de textos produzidos por estudiosos da comunicação e da cultura,
esse trabalho tem o intuito de explorar o processo histórico responsável pela popularização do
conceito de celebridade. Utilizando discussões sobre a presença de características românticas
na sociedade atual, pretendemos compreender o impacto que a figura pública que chamamos
de celebridade exerce na sociedade. Suas influências em relação ao gosto e o comportamento
do indivíduo contemporâneo, inclusive na forma de se vestir, são alguns dos resultados
encontrados.
Apesar de não haver um senso comum sobre a forma como este fenômeno
contemporâneo surgiu, sua intensa relação com a indústria cultural é inegável. Este estudo
tem como objetivo refletir sobre a utilização que esta indústria faz dos conceitos de
autenticidade e celebridade no âmbito do cinema e da televisão, sempre relacionando ao
consumismo. Também faz parte desta pesquisa o mapeamento referente ao momento histórico
que iniciou esse processo, assim como sua ligação com o período romântico.
Uma análise sobre a história da sociedade nos leva a crer que as celebridades já
existem há alguns séculos, porém, a forma como são “produzidas” tem se modificado. Os
discursos envolvendo a autenticidade, desenvolvidos e exemplificados ao longo dos primeiros
capítulos, se estendem até as últimas páginas do presente trabalho. Para fins de conclusão
desta pesquisa, uma análise sobre a autenticidade e do que se entende por celebridade dentro
do universo chamado Big Brother Brasil é exposta ao leitor. Responsável por lançar
celebridades a cada edição, o programa é apontado aqui como expressão máxima do
“ordinário” e do comum na televisão brasileira. Como resultado, as trajetórias percorridas por
Grazi Massafera e Sabrina Sato ilustram uma característica já conhecida deste reality show:
trabalhar a imagem dos participantes e lança-los na indústria do entretenimento, seja através
de uma carreira temporária ou mais uma duradoura.

VILA MIMOSA: O lugar que não estava lá

VILA MIMOSA: O lugar que não estava lá

Comentários desativados em VILA MIMOSA: O lugar que não estava lá

O presente estudo vem expor um recorte da remoção da Vila Mimosa, zona de
prostituição do Rio de Janeiro, da Cidade Nova e sua posterior instalação, na Rua
Sotero dos Reis, na Praça da Bandeira e de que modo o estabelecimento de uma
área de prostituição impacta a comunidade que a recebe. Para realização da
pesquisa foram utilizados como referenciais teóricos autores que desenvolveram
conceitos e métodos de estudos culturais e antropologia urbana. A pesquisa de
campo e vivência do pesquisador na cartografia do encontro entre quem já estava lá
e quem chegou possibilitou a captura de depoimentos que apontam para um retrato
do comportamento desta comunidade e de como se conjugam as identidades antes e
depois da instalação da zona de prostituição na localidade em questão.

CAPOEIRA AO REDOR DO MUNDO Pesquisa para a realização de um documentário audiovisual

CAPOEIRA AO REDOR DO MUNDO Pesquisa para a realização de um documentário audiovisual

Comentários desativados em CAPOEIRA AO REDOR DO MUNDO Pesquisa para a realização de um documentário audiovisual

Esta monografia projetual tem como objetivo central se aproximar da Capoeira de Angola,
uma cultura afro-brasileira original do Brasil e é praticada por mais de cem mil pessoas ao
redor do mundo. Com a finalidade de produzir um documentário, este estudo busca analisar as
raízes da Capoeira, o desenvolvimento de sua história e seus desdobramentos até os dias de
hoje. Problematizando as questões de sua origem, sua importância no decurso da história, seus
percalços e expansões, pretendemos mostrar a relevância da Capoeira de Angola no cenário
brasileiro, em sua articulação com questões atuais da cultura, da identidade e de resistência
aos processos de globalização.
Ao nos aproximarmos desse conjunto de questões e interesses, pudemos criar uma trama de
informações que viesse a nos subsidir na produção de um documentário audiovisual que
associe o potencial de comunicação da linguagem audiovisual com o conteúdo crítico e
informativo relacionado às questões culturais, políticas e identitárias da Capoeira de Angola.
É nossa intenção e nosso desejo que o produto audiovisual resultante deste estudo venha
compor a ampla janela televisiva nacional que se abriu com a promulgação da Lei nº 12.485, de 12 de setembro de 2011, conhecida como TV Paga, que torna a exibição de produções
brasileiras obrigatória como forma de incentivo à produção nacional.

É som de preto, de favelado e caso de polícia: a criminalização do Funk e sua correlação com o poder público e a mídia.

É som de preto, de favelado e caso de polícia: a criminalização do Funk e sua correlação com o poder público e a mídia.

Comentários desativados em É som de preto, de favelado e caso de polícia: a criminalização do Funk e sua correlação com o poder público e a mídia.

O funk carioca, desde a década de 90, sofre em vários momentos uma forte campanha de
criminalização por parte da mídia, do Estado e de alguns setores da sociedade, e vem sendo
tratado como um problema de segurança pública e não como uma manifestação cultural digna
de livre expressão. Este trabalho objetiva abordar como se deu as diferentes formas de
criminalização do funk carioca a partir nos anos 90 até os dias atuais, com base nas ações do
poder público e da grande mídia apresentando as consequências oriundas da conduta destes
agentes no próprio movimento funk. Em virtude desta marginalização este gênero musical a
todo o momento teve que procurar meios para se defender e permanecer atuante no cenário
cultural. E principalmente esta criminalização do funk, acaba interferindo no pleno exercício
dos direitos culturais desta manifestação, uma vez que algumas ações por parte do Estado
coíbem e dificultam a realização dos bailes em determinados locais e, ainda, tornam crime
uma das vertentes do funk, os chamados “proibidões”, acarretando até em prisões de MCs. E
mesmo depois de ser considerado Patrimônio Cultural Imaterial do Rio de Janeiro, o funk
ainda não é discutido como um caso de cultura, mas sim como um caso de polícia.

Arte e valor: considerações sobre o objeto de arte como mercadoria

Arte e valor: considerações sobre o objeto de arte como mercadoria

Comentários desativados em Arte e valor: considerações sobre o objeto de arte como mercadoria

Ao longo do século vinte, o campo das artes visuais sofreu inúmeras transformações
tanto na maneira de se produzir e pensar o objeto artístico, quanto sua
comercialização e absorção por parte do público. O objeto de estudo deste trabalho
consiste na análise da criação artística em três períodos distintos, nos quais há um
estreitamento entre a concepção do produto artístico, pleno de simbolismo, e a
noção de mercadoria. O primeiro momento analisado discorre sobre a obra de
Marcel Duchamp, primordialmente, os readymades. Em um segundo instante, são
analisadas artistas e obras da década de 1960, partindo dos movimentos Pop Art e
Conceitualismo, período em que a barreira entre arte e vida é rompida. A última
etapa explorada é a arte feita sobretudo nos anos 1990 até os dias de hoje. Artistas,
como Damien Hirst e Ai Weiwei são citados como expoentes da visão produtivista e
globalizada do sistema de arte na contemporaneidade. Esse estudo ambiciona
avaliar a relação do artista e sua inserção em redes e instâncias de consagração,
juntamente com a manipulação econômica do objeto artístico como um signomercadoria.

Gabriel, O Mediador: o rapper como elemento de ligação

Gabriel, O Mediador: o rapper como elemento de ligação

Comentários desativados em Gabriel, O Mediador: o rapper como elemento de ligação

Este trabalho pretende mostrar de que maneira o artista Gabriel, o Pensador, rapper branco e
de classe média, a partir do engajamento no movimento hip hop e suas questões políticosócio-culturais,
confirmou seu papel de mediador entre morro e asfalto e conseguiu propagar
os ideais dessa cultura para além das fronteiras da periferia. Partiu-se da exposição da história
do hip hop, de sua abrangência, de seu impacto na sociedade, e de como isso influenciou o
estilo eclético e peculiar do compositor. Outro ponto relevante para entender sua função como
elemento de ligação entre grupos distintos foi a verificação da combinação de estratégias de
divulgação utilizada para ampliar seu âmbito de atuação. Este grupo de estratégias incluiu a
mescla de ritmos representantes das várias regiões brasileiras ao rap, e as diversas
homenagens a compositores consagrados, com a inserção de trechos de suas músicas em seus
raps, atitudes que lhe renderam a conquista de fãs de fora da comunidade rap/hip hop.
Finalmente, foi promovido o confronto da obra e da postura política de Gabriel com conceitos
como globalização, cultura, identidade, entre-lugar e mediação, como embasamento teórico
da hipótese pesquisada, por serem conceitos pertinentes e afinados com suas letras e atitudes.

TECNOBREGA: uma análise da música brega Paraense a partir dos anos 1980

TECNOBREGA: uma análise da música brega Paraense a partir dos anos 1980

Comentários desativados em TECNOBREGA: uma análise da música brega Paraense a partir dos anos 1980

Este trabalho teve como objetivo abordar os aspectos da dita “cultura brega” possivelmente
presentes no Tecnobrega, gênero musical surgido na cidade de Belém, Estado do
Pará, por volta dos anos 2000, que consiste na fusão da música eletrônica com a tradicional
música “brega” produzida nessa região por volta da década de 1980. Este estilo musical criou
novas formas de produção e de distribuição, nascendo distante das grandes gravadoras e dos
veículos de comunicação de massa, difundindo-se por canais independentes para todo o Brasil,
fazendo com que o mercado do Tecnobrega se tornasse uma importante referência para o
mundo da produção de bens culturais. Discuto o seu conceito e estrutura, baseando-me em sua
trajetória histórica, assim como em seu contexto social e cultural. Para tanto, utilizei parâmetros
advindos do campo da própria musicologia mas, também, dos estudos da moda, a fim de
delimitar o “brega” como um conceito para que o mesmo pudesse ser utilizado neste estudo.
Com esse trabalho, pretendo ampliar as discussões acerca desse tema, que tem despertado
cada vez mais a atenção da academia e da mídia.

Cultivando em solos férteis: O Projeto Solos Culturais e a potência juvenil como transformadora da sociedade.

Comentários desativados em Cultivando em solos férteis: O Projeto Solos Culturais e a potência juvenil como transformadora da sociedade.

Este trabalho de pesquisa tem por objetivo apresentar e questionar os processos atravessas
pelo programa Solos Culturais, promovido em 2012 pelo Observatório de Favelas, na Maré.
Tratava-se de um curso que previa a formação de jovens selecionados entre 15 e 29 anos em
Produção Cultural e Pesquisa Social, tendo durado cerca de dez meses. Seguindo a linha
filosófica e de atuação do Observatório, o programa Solos Culturais buscou atuar na produção
de conhecimento, prático e teórico, e integrar em uma luta pela superação de estigmas
sofridos pelo jovem da favela. Entendendo o território da favela sendo comparável a um “solo
fértil”, rico em cultura e propício ao desenvolvimento das linguagens e expressões ali
existentes. A esses jovens, a quem o programa denominou como “Solistas”, eram mostrados
conceitos e categorias diversos dentro da temática da cultura e das políticas públicas culturais
e, a partir disto, aqueles alunos era convidados a realizar intervenções culturais nos territórios
em que residiam e a compreender que era seu direito, enquanto cidadãos, contribuir com
interferências positivas, cultural e politicamente, onde mora e na cidade em que vive e de
onde costuma ser segregado, apropriando-se daquilo que é seu por direito. Tudo isto é
pensado através de um Projeto Político-Pedagógico aliado à aplicação de uma metodologia
formativa específica e característica desta organização social, que traz consigo a preocupação
não somente com o exercício de direitos culturais destes jovens, mas sociais e políticos
também. No momento da aplicação desta metodologia, diversos conflitos e tensões aparecem
e acabam dando conta de mostrar algumas falhas no processo prático deste projeto, que são
inerentes a certos conflitos e tensões intrínsecos ao mundo moderno e também ao fato de ser
um projeto, de certa forma, ainda embrionário, que estaria ainda em sua primeira edição.
Ademais, analisa-se o propósito desafiador que o programa traz e que implica em certo
investimento ideológico em jovens, que o programa admite que, por serem potencialmente
criativos, têm nas mãos o poder de intervir no cenário social de que fazem parte através da
administração e aplicação destas potências em seu cotidiano.