O som que Deus criou: análise de distribuição e consumo de música gospel na sociedade evangélica

Tema:
O som que Deus criou: análise de distribuição e consumo de música gospel na sociedade evangélica e o papel do produtor cultural no mercado musical evangélico
Autor:
Beatriz Castello Branco Ribeiro Masiero
Orientador:
Prof. Me. Luiz Mendonça
Instituição:
UFF
Ano:
2013

 

Resumo

O trabalho analisa a distribuição e consumo de música gospel, o crescimento do mercado gospel tanto financeiramente e quanto culturalmente, a importância do produtor cultural no mercado evangélico e faz refletir a importância que o segmento gospel tem para o mercado de trabalho do produtor cultural. A justificativa para voltar à atenção do produtor cultural para este segmento vem da crescente demanda por profissionais do setor, que deveria acompanhar o crescimento do mercado consumidor gospel nos últimos dez anos. O objetivo principal do estudo é como um fenômeno cultural que surgiu nas igrejas e na fé, pode se tornar mercado de trabalho para profissionais de produção cultural. Em contraponto, o trabalho mostra a dificuldade de aceitação dos dois lados, evangélicos e produtores não evangélicos, e como é complicado mudar hábitos até mesmo em meios acadêmicos. O trabalho conceitua o que é o segmento gospel sob o ponto de vista sociológico e religioso, analisa a criação, distribuição e consumo do gospel evangélico, entrevista produtores musicais e culturais e mostra o que pode ser feito para que um produtor cultural fora desta área de atuação tenha sua atenção voltada para este mercado. Ficou claro que o mercado consumidor cresce a cada dia, necessita de profissionais qualificados, poderia fazer parte de currículos acadêmicos específicos, e precisa superar preconceitos de ambas as partes (mercado e produtores), para se adequar à realidade do segmento gospel que já ocupa um lugar muito mais do significativo no mercado fonográfico.