PEDRA DO SAL: O resgate da memória africana em um dos berços do samba

PEDRA DO SAL: O resgate da memória africana em um dos berços do samba

Comentários desativados em PEDRA DO SAL: O resgate da memória africana em um dos berços do samba

As manifestações culturais de matriz africana, como o samba, vêm sendo
atualmente cada vez mais inseridas na cidade por meio de um intenso movimento de
resgate da cultura popular, como as rodas de samba que acontecem na Pedra do
Sal, que retomam um lugar da cidade tradicionalmente negro e vinculado ao samba.
É inegável, contudo, que as manifestações da cultura negra sejam um reflexo dos
gostos nos dias de hoje. A aproximação entre essa região que historicamente é
negra e afrobrasileira e seus admiradores é notório. É a partir do resgate do
passado, do antigo através da busca por compositores de gerações anteriores que
novos músicos recriam gêneros musicais tradicionais. Através de práticas,
representações, expressões artísticas e da profissionalização constroem as suas
identidades de sambistas. Os consumidores criam um espaço para interação,
sociabilidade e mantém relações sociais. Esse público consumidor recria a figura de
um novo malandro através da manutenção de alguns itens tradicionais na
vestimenta desse personagem e também pela troca e acréscimo de outros. Os
consumidores das rodas de samba da Pedra do Sal criam uma identidade coletiva
por possuírem algumas práticas e valores em comum.

COMÉRCIO DA FAMA: Um panorama histórico sobre o fenômeno da celebridade

COMÉRCIO DA FAMA: Um panorama histórico sobre o fenômeno da celebridade

Comentários desativados em COMÉRCIO DA FAMA: Um panorama histórico sobre o fenômeno da celebridade

A partir da análise de textos produzidos por estudiosos da comunicação e da cultura,
esse trabalho tem o intuito de explorar o processo histórico responsável pela popularização do
conceito de celebridade. Utilizando discussões sobre a presença de características românticas
na sociedade atual, pretendemos compreender o impacto que a figura pública que chamamos
de celebridade exerce na sociedade. Suas influências em relação ao gosto e o comportamento
do indivíduo contemporâneo, inclusive na forma de se vestir, são alguns dos resultados
encontrados.
Apesar de não haver um senso comum sobre a forma como este fenômeno
contemporâneo surgiu, sua intensa relação com a indústria cultural é inegável. Este estudo
tem como objetivo refletir sobre a utilização que esta indústria faz dos conceitos de
autenticidade e celebridade no âmbito do cinema e da televisão, sempre relacionando ao
consumismo. Também faz parte desta pesquisa o mapeamento referente ao momento histórico
que iniciou esse processo, assim como sua ligação com o período romântico.
Uma análise sobre a história da sociedade nos leva a crer que as celebridades já
existem há alguns séculos, porém, a forma como são “produzidas” tem se modificado. Os
discursos envolvendo a autenticidade, desenvolvidos e exemplificados ao longo dos primeiros
capítulos, se estendem até as últimas páginas do presente trabalho. Para fins de conclusão
desta pesquisa, uma análise sobre a autenticidade e do que se entende por celebridade dentro
do universo chamado Big Brother Brasil é exposta ao leitor. Responsável por lançar
celebridades a cada edição, o programa é apontado aqui como expressão máxima do
“ordinário” e do comum na televisão brasileira. Como resultado, as trajetórias percorridas por
Grazi Massafera e Sabrina Sato ilustram uma característica já conhecida deste reality show:
trabalhar a imagem dos participantes e lança-los na indústria do entretenimento, seja através
de uma carreira temporária ou mais uma duradoura.

Gabriel, O Mediador: o rapper como elemento de ligação

Gabriel, O Mediador: o rapper como elemento de ligação

Comentários desativados em Gabriel, O Mediador: o rapper como elemento de ligação

Este trabalho pretende mostrar de que maneira o artista Gabriel, o Pensador, rapper branco e
de classe média, a partir do engajamento no movimento hip hop e suas questões políticosócio-culturais,
confirmou seu papel de mediador entre morro e asfalto e conseguiu propagar
os ideais dessa cultura para além das fronteiras da periferia. Partiu-se da exposição da história
do hip hop, de sua abrangência, de seu impacto na sociedade, e de como isso influenciou o
estilo eclético e peculiar do compositor. Outro ponto relevante para entender sua função como
elemento de ligação entre grupos distintos foi a verificação da combinação de estratégias de
divulgação utilizada para ampliar seu âmbito de atuação. Este grupo de estratégias incluiu a
mescla de ritmos representantes das várias regiões brasileiras ao rap, e as diversas
homenagens a compositores consagrados, com a inserção de trechos de suas músicas em seus
raps, atitudes que lhe renderam a conquista de fãs de fora da comunidade rap/hip hop.
Finalmente, foi promovido o confronto da obra e da postura política de Gabriel com conceitos
como globalização, cultura, identidade, entre-lugar e mediação, como embasamento teórico
da hipótese pesquisada, por serem conceitos pertinentes e afinados com suas letras e atitudes.

A experiência multicultural e a produção coletiva de identidade

A experiência multicultural e a produção coletiva de identidade

Comentários desativados em A experiência multicultural e a produção coletiva de identidade

O caso aqui mostrado em forma de monografia representa um breve relato sobre a minha experiência profissional a bordo de navios do tipo transatlântico intercambiando passageiros entre países e continentes com o uso de tripulação culturalmente diferenciada que, a despeito dessa diversidade, convive e interage de forma respeitosa e harmônica, sendo responsável pela construção de uma ambiência cultural nova na qual está inserida.

SER-TÃO mulher: caminhos do olhar e outras perspectivas sobre a sertanidade

SER-TÃO mulher: caminhos do olhar e outras perspectivas sobre a sertanidade

Comentários desativados em SER-TÃO mulher: caminhos do olhar e outras perspectivas sobre a sertanidade

O trabalho reflete acerca do entendimento de Sertão, do regional ao existencial, ampliando sua compreensão — colocando-o como espaço-enigma — a fim de discutir suas referências no imaginário social. Ao constatar a dominação de aspectos, personagens e ofícios masculinos em suas principais representações, compreendem-se os motivos que levaram à construção de uma identidade de gênero atrelada à região.

QUEM É DO MÉIER NÃO BOBÉIER.

QUEM É DO MÉIER NÃO BOBÉIER.

Comentários desativados em QUEM É DO MÉIER NÃO BOBÉIER.

Análise da política de gestão do Imperator – Centro Cultural João Nogueira, a partir da territorialidade e da construção de identidades no Méier.

“EU ABRO MEU PEITO E CANTO AMOR POR VOCÊ”

“EU ABRO MEU PEITO E CANTO AMOR POR VOCÊ”

Comentários desativados em “EU ABRO MEU PEITO E CANTO AMOR POR VOCÊ”

Uma análise sobre as identidades periféricas ativadas no contexto musical da Obra do artista Arlindo Cruz no DVD Batuques do Meu Lugar.

Araribóia e a Noiva de Cocar. Um estudo referente aos reflexos da Hibridização Cultural em Niterói no século XVI.

Araribóia e a Noiva de Cocar. Um estudo referente aos reflexos da Hibridização Cultural em Niterói no século XVI.

Comentários desativados em Araribóia e a Noiva de Cocar. Um estudo referente aos reflexos da Hibridização Cultural em Niterói no século XVI.

O estudo referente a este trabalho tem início anteriormente a formação da Aldeia de São Lourenço dos Índios, no século XVI, quando Araribóia ainda vivia em terras da Ilha de Paranapuã. O foco desta pesquisa será a hibridização cultural ocorrida entre os indígenas e os portugueses devido ao encontro e convivência dos nativos com os colonizadores quando aqui chegaram. Guiaremo-nos, para estudo deste objeto, através dos hábitos, tradições e costumes praticados por estes povos e seguiremos abordando como a cultura local foi sendo modificada ao longo dos anos seja pela aculturação, deculturação ou etnocídio. No entanto, o mais relevante para este estudo é a convergência entre essas duas culturas citadas anteriormente, isto é, a hibridização entre esses povos, a mistura ou mescla cultural, chamada assim por alguns autores. A partir disso, tentaremos analisar quais os impactos e resultados gerados por estas relações especificamente na cultura niteroiense.

“Valei-me, meu padim Ciço”: a religião como sistema cultural na cidade de Juazeiro do Norte/CE.

“Valei-me, meu padim Ciço”: a religião como sistema cultural na cidade de Juazeiro do Norte/CE.

Comentários desativados em “Valei-me, meu padim Ciço”: a religião como sistema cultural na cidade de Juazeiro do Norte/CE.

O presente trabalho analisa a religião como “sistema cultural”, conceito desenvolvido por Clifford Geertz (1989), utilizando a cidade de Juazeiro do Norte, localizada no Vale do Cariri, no sul do Ceará, como estudo de caso.

A cidade foi escolhida devido a sua forte ligação em torno do nome de Padre Cícero – historicamente considerado o principal atrativo e benfeitor de Juazeiro do Norte. A partir de um milagre no qual o padre fora protagonista, no século XIX, temos o início do culto em torno da santidade do mesmo e o surgimento das romarias existentes até hoje.

A discussão principal do trabalho visa analisar primeiramente quem foi este personagem da história local, para, em seguida, compreender como os devotos de Padre Cícero mantêm vivo até hoje, o culto à santidade do sacerdote denotando a importância da religiosidade popular na cultural local.