Gabriel, O Mediador: o rapper como elemento de ligação

Gabriel, O Mediador: o rapper como elemento de ligação

Comentários desativados em Gabriel, O Mediador: o rapper como elemento de ligação

Este trabalho pretende mostrar de que maneira o artista Gabriel, o Pensador, rapper branco e
de classe média, a partir do engajamento no movimento hip hop e suas questões políticosócio-culturais,
confirmou seu papel de mediador entre morro e asfalto e conseguiu propagar
os ideais dessa cultura para além das fronteiras da periferia. Partiu-se da exposição da história
do hip hop, de sua abrangência, de seu impacto na sociedade, e de como isso influenciou o
estilo eclético e peculiar do compositor. Outro ponto relevante para entender sua função como
elemento de ligação entre grupos distintos foi a verificação da combinação de estratégias de
divulgação utilizada para ampliar seu âmbito de atuação. Este grupo de estratégias incluiu a
mescla de ritmos representantes das várias regiões brasileiras ao rap, e as diversas
homenagens a compositores consagrados, com a inserção de trechos de suas músicas em seus
raps, atitudes que lhe renderam a conquista de fãs de fora da comunidade rap/hip hop.
Finalmente, foi promovido o confronto da obra e da postura política de Gabriel com conceitos
como globalização, cultura, identidade, entre-lugar e mediação, como embasamento teórico
da hipótese pesquisada, por serem conceitos pertinentes e afinados com suas letras e atitudes.

QUEM É DO MÉIER NÃO BOBÉIER.

QUEM É DO MÉIER NÃO BOBÉIER.

Comentários desativados em QUEM É DO MÉIER NÃO BOBÉIER.

Análise da política de gestão do Imperator – Centro Cultural João Nogueira, a partir da territorialidade e da construção de identidades no Méier.

“EU ABRO MEU PEITO E CANTO AMOR POR VOCÊ”

“EU ABRO MEU PEITO E CANTO AMOR POR VOCÊ”

Comentários desativados em “EU ABRO MEU PEITO E CANTO AMOR POR VOCÊ”

Uma análise sobre as identidades periféricas ativadas no contexto musical da Obra do artista Arlindo Cruz no DVD Batuques do Meu Lugar.