TECNOBREGA: uma análise da música brega Paraense a partir dos anos 1980

TECNOBREGA: uma análise da música brega Paraense a partir dos anos 1980

Comentários desativados em TECNOBREGA: uma análise da música brega Paraense a partir dos anos 1980

Este trabalho teve como objetivo abordar os aspectos da dita “cultura brega” possivelmente
presentes no Tecnobrega, gênero musical surgido na cidade de Belém, Estado do
Pará, por volta dos anos 2000, que consiste na fusão da música eletrônica com a tradicional
música “brega” produzida nessa região por volta da década de 1980. Este estilo musical criou
novas formas de produção e de distribuição, nascendo distante das grandes gravadoras e dos
veículos de comunicação de massa, difundindo-se por canais independentes para todo o Brasil,
fazendo com que o mercado do Tecnobrega se tornasse uma importante referência para o
mundo da produção de bens culturais. Discuto o seu conceito e estrutura, baseando-me em sua
trajetória histórica, assim como em seu contexto social e cultural. Para tanto, utilizei parâmetros
advindos do campo da própria musicologia mas, também, dos estudos da moda, a fim de
delimitar o “brega” como um conceito para que o mesmo pudesse ser utilizado neste estudo.
Com esse trabalho, pretendo ampliar as discussões acerca desse tema, que tem despertado
cada vez mais a atenção da academia e da mídia.

Music Branding. Estratégias musicais no meio empresarial

Music Branding. Estratégias musicais no meio empresarial

Comentários desativados em Music Branding. Estratégias musicais no meio empresarial

O objetivo geral do trabalho é apresentar o music branding e as estratégias possíveis que uma empresa que presta esse serviço pode desenvolver. Os objetivos específicos são: entender o que é o música, bem como sua importância e funções; atentar para a evolução do modo de escuta, do fonógrafo ao mp3; compreender a evolução e valor de marca; compreender o comportamento do atual consumidor; esclarecer o que é branding, assim como sua ramificação – o branding sensorial; compreender a importância do music branding; classificar as estratégias possíveis; relatar exemplos de empresas que utilizam música estrategicamente como forma de comunicação e, por fim, analisar minha experiência na Radio Ibiza, uma das maiores empresas de music branding do pais.

O processo de consolidação do mercado fonográfico infantil no Brasil dos anos 80.

O processo de consolidação do mercado fonográfico infantil no Brasil dos anos 80.

Comentários desativados em O processo de consolidação do mercado fonográfico infantil no Brasil dos anos 80.

Esta monografia busca analisar as coproduções musicais e televisivas do universo infantil durante a década de 1980, destacando a parceria entre a televisão brasileira e a indústria fonográfica, buscando perceber como o mercado da música neste nicho foi consolidado, fazendo um estudo de caso dos mais emblemáticos.

QUEM É DO MÉIER NÃO BOBÉIER.

QUEM É DO MÉIER NÃO BOBÉIER.

Comentários desativados em QUEM É DO MÉIER NÃO BOBÉIER.

Análise da política de gestão do Imperator – Centro Cultural João Nogueira, a partir da territorialidade e da construção de identidades no Méier.

“EU ABRO MEU PEITO E CANTO AMOR POR VOCÊ”

“EU ABRO MEU PEITO E CANTO AMOR POR VOCÊ”

Comentários desativados em “EU ABRO MEU PEITO E CANTO AMOR POR VOCÊ”

Uma análise sobre as identidades periféricas ativadas no contexto musical da Obra do artista Arlindo Cruz no DVD Batuques do Meu Lugar.

O Quilombo de Candeia nos tempos idos de 2014

O Quilombo de Candeia nos tempos idos de 2014

Comentários desativados em O Quilombo de Candeia nos tempos idos de 2014

No primeiro capítulo, um apanhado histórico do surgimento do GRANES, desde a insatisfação com os rumos da Por tela na primeira metade da década de 1970 até o rompimento e a criação da “Nova Escola”, em 1975. No segundo capítulo, o foco passa para o período de luto da agremiação e a tentativa de manutenção das atividades que Candeia organizou. Já o terceiro capítulo versa sobre o GRANES Quilombo nos dias atuais.

Música e erudição: a interdição do acesso à música clássica

Música e erudição: a interdição do acesso à música clássica

Comentários desativados em Música e erudição: a interdição do acesso à música clássica

O presente trabalho pretende propor a reflexão sobre experiências interclassistas no meio da música clássica. Apesar de identificar apenas um período da história da música, o termo “música clássica” é o de mais fácil identificação do objeto por parte do público.

Nei Lopes em forma de arte

Nei Lopes em forma de arte

Comentários desativados em Nei Lopes em forma de arte

O presente estudo busca demonstrar a trajetória de Nei Lopes, carioca de Irajá, e sua relação com o samba, de maneira a investigar sua biografia, exemplificada por músicas representativas de determinados momentos, o processo de legitimação e consolidação do gênero musical paralelo à visão do compositor.

Lady Gaga: Desconstruindo o fenômeno

Lady Gaga: Desconstruindo o fenômeno

Comentários desativados em Lady Gaga: Desconstruindo o fenômeno

Pretende-se analisar a artista por diversos âmbitos: através do uso da tecnologia como forma de divulgar seu trabalho; a forma como se utiliza da moda e, por fim, a criação da personagem Lady Gaga, usando como parâmetro a construção de fenômenos musicais desde Madonna até os dias atuais. O foco principal será o surgimento de Gaga e a sucessão de fatos desencadeados por ela na indústria cultural e midiática.

Os temas discutidos nesse estudo – autenticidade, tecnologia e indústria cultural – acabam gerando questionamentos tais quais: Como classificar Lady Gaga no cenário cultural contemporâneo? Seu reconhecimento veio através do talento? Quais os atributos valorizados pela mídia para se tornar uma grande pop star? O avanço da Internet facilita ou prejudica o nascimento de verdadeiros artistas? O que tornou Lady Gaga este fenômeno mundialmente conhecido e aclamado pelo público? Qual é o papel do produtor cultural na construção de fenômenos como Lady Gaga?

Produção alternativa e o Rock in Rio: A inovação do fazer cultural nos anos 80

Produção alternativa e o Rock in Rio: A inovação do fazer cultural nos anos 80

Comentários desativados em Produção alternativa e o Rock in Rio: A inovação do fazer cultural nos anos 80

Esta é uma pesquisa dedicada ao estudo de jovens artistas que buscaram novas formas de produzir cultura nos anos 80, rompendo com determinado padrão, determinados a dialogar com sua geração, tratar de temas que os afligiam, que os interessavam, e que através do grau de profissionalismo que depositavam em seus trabalhos, fizeram sucesso, conquistaram o país e de certa forma, abriram as portas para uma nova forma de produção no país, sendo o Rock in Rio o nosso marco, na questão de inovação em matéria de evento no Brasil.
Busquei fazer uma comparação entre três tipos de produção: teatro, música e a Rádio Fluminense FM, que funcionava com a mesma dificuldade financeira, mas resistia pelo prazer ao trabalho que fazia.