Meu querido Erasmus. Intercâmbio como Produção Cultural

Meu querido Erasmus. Intercâmbio como Produção Cultural

Comentários desativados em Meu querido Erasmus. Intercâmbio como Produção Cultural

O presente trabalho pretende analisar o fenômeno contemporâneo dos
intercâmbios e como essas experiências afetam diretamente a formação de
novos sujeitos e sua visão do mundo. Meu Querido Erasmus investiga as
trocas, descobertas acerca do contato com pessoas de diferentes
nacionalidades e vivências, identidades culturais e busca entender em quem se
transforma o sujeito que vive esses afetos de maneira intensa, esse ser
Erasmus, antropofágico, aberto, a possível representação do Ser pós-moderno,
o agente que conserva suas características pátrias e subjetivas, mas, passa a
ser um pouco de cada canto, um pouco de cada um, sendo, por isso, um
cidadão do mundo, que compreende as diferenças de cada indivíduo. O
trabalho também busca entender como o intercâmbio poderia influenciar o
comportamento dos estudantes depois de viver essa experiência.

KITSCH FOR DUMMIES : manual de instruções para novos usuários

KITSCH FOR DUMMIES : manual de instruções para novos usuários

Comentários desativados em KITSCH FOR DUMMIES : manual de instruções para novos usuários

A pesquisa analisa o kitsch, através de estudos de caso. Após seu surgimento, durante
a modernidade, as mudanças comportamentais e artísticas desenvolveram duas classes, e com
elas, dois produtos de consumo: a vanguarda e o kitsch. Porém é na pós-modernidade que ele
tem seu reconhecimento. A estética presente na arte e nas diversas formas de consumo, fazem
parte de um estilo resistente. Este trabalho apropria-se da linguagem de um manual de
instruções; com base nos teóricos Clement Greenberg, Abraham Moles, Hal Foster, Rozalind
Krauss, Marshall Berman, David Harvey, Clara Irazabal e outros, para construir o percurso do
kitsch até os dias atuais.