Cidades Criativas: a construção de um ideário e sua influência na cidade do Rio de Janeiro

Cidades Criativas: a construção de um ideário e sua influência na cidade do Rio de Janeiro

Comentários desativados em Cidades Criativas: a construção de um ideário e sua influência na cidade do Rio de Janeiro

O ideário das ‘cidades criativas’ está presente, em nível internacional, nas agendas das
cidades e tem sido apropriado por alguns atores públicos e privados no Rio de Janeiro, num
momento em que a cidade se prepara para receber grandes eventos, como Olimpíadas e Copa
do Mundo. Reconhecer quais ideias de cidade estão surgindo na apropriação e adaptação
deste ideário no território da cidade do Rio de Janeiro é de grande relevância, já que , segundo
a gestão municipal, este está sendo ‘requalificado’ na presente ocasião. Nos atuais processos
de franca transformação urbana, é notável a tentativa de construir uma imagem de cidade ‘boa
para os negócios’. Nesse sentido, é importante identificar as disputas simbólicas travadas
entre os diferentes atores por sua ação no território, assim como as percepções dominantes
que influenciam a construção e afirmação do ideário de ‘cidade criativa’ e as relações com o
chamado ‘momento Rio’. Para tanto, este trabalho realiza o reconhecimento de alguns
sujeitos, ideias-força e processos que configuram o ideário, como a chamada ‘economia
criativa’, recorrendo à análise do discurso, suas orientações e intenções, além da identificação
das plataformas de sua difusão, com sua chegada ao Rio de Janeiro. A partir da desconstrução
do ideário, buscamos perceber como a versão carioca de ‘cidade criativa’ vem se
configurando no território, quais disputas estão sendo travadas e as linhas dominantes de
entendimento do ideário. Com esse reconhecimento, por meio de pesquisa documental – seja
por eventos, matérias em jornais ou entrevistas – são desveladas imagens-síntese sobre a
relação entre ‘cidade criativa’ e megaeventos no Rio de Janeiro, que indicam a percepção da
‘cultura como plataforma de venda da cidade’. Este trabalho busca, portanto, contribuir para a
ampliação do debate contemporâneo em relação aos processos culturais urbanos,
principalmente no que diz respeito à construção do ideário de ‘cidade criativa’ e seus
impactos na cidade do Rio de Janeiro.

É som de preto, de favelado e caso de polícia: a criminalização do Funk e sua correlação com o poder público e a mídia.

É som de preto, de favelado e caso de polícia: a criminalização do Funk e sua correlação com o poder público e a mídia.

Comentários desativados em É som de preto, de favelado e caso de polícia: a criminalização do Funk e sua correlação com o poder público e a mídia.

O funk carioca, desde a década de 90, sofre em vários momentos uma forte campanha de
criminalização por parte da mídia, do Estado e de alguns setores da sociedade, e vem sendo
tratado como um problema de segurança pública e não como uma manifestação cultural digna
de livre expressão. Este trabalho objetiva abordar como se deu as diferentes formas de
criminalização do funk carioca a partir nos anos 90 até os dias atuais, com base nas ações do
poder público e da grande mídia apresentando as consequências oriundas da conduta destes
agentes no próprio movimento funk. Em virtude desta marginalização este gênero musical a
todo o momento teve que procurar meios para se defender e permanecer atuante no cenário
cultural. E principalmente esta criminalização do funk, acaba interferindo no pleno exercício
dos direitos culturais desta manifestação, uma vez que algumas ações por parte do Estado
coíbem e dificultam a realização dos bailes em determinados locais e, ainda, tornam crime
uma das vertentes do funk, os chamados “proibidões”, acarretando até em prisões de MCs. E
mesmo depois de ser considerado Patrimônio Cultural Imaterial do Rio de Janeiro, o funk
ainda não é discutido como um caso de cultura, mas sim como um caso de polícia.

Folia em ordem: uma análise do Carnaval de Rua contemporâneo na cidade do Rio de Janeiro

Folia em ordem: uma análise do Carnaval de Rua contemporâneo na cidade do Rio de Janeiro

Comentários desativados em Folia em ordem: uma análise do Carnaval de Rua contemporâneo na cidade do Rio de Janeiro

Tendo os blocos de carnaval da Zona Sul e Centro do Rio de Janeiro como
objeto, buscamos responder às seguintes questões ao longo dos capítulos: por quê e
como se dá a retomada do carnaval de rua na cidade? Qual é a conjuntura desta
retomada? Quais características os blocos apresentam? Eles incorporam elementos de
uma identidade cultural? Como os blocos se relacionam com a cidade do Rio de
Janeiro? E como a cidade dá conta deste fenômeno cultural?

Revista, Broadway e Rio de Janeiro. Desafios e conquistas do mercado contemporâneo dos musicais cariocas

Revista, Broadway e Rio de Janeiro. Desafios e conquistas do mercado contemporâneo dos musicais cariocas

Comentários desativados em Revista, Broadway e Rio de Janeiro. Desafios e conquistas do mercado contemporâneo dos musicais cariocas

O casamento entre música e teatro no Brasil remete diretamente ao teatro de revista, um gênero alegre e irreverente que dominou os palcos cariocas desde o final do século XIX. Sua história encontra eco atualmente no gênero do teatro musical, que desde 2001 vem passando por um grande processo de evolução técnica e artística. Hoje o Rio de Janeiro é um polo na produção de musicais, tendo como grande destaque os espetáculos Tim Maia – Vale Tudo, O Musical, O Mágico de Oz e Rock in Rio – O Musical, todos contemporâneos e ao mesmo tempo tão diferentes entre si. O mercado dos musicais é um terreno fértil de criação e negócios, já alcançou muitas conquistas, mas ainda possui desafios a superar.

A festa de São Jorge: uma observação participante do culto ao santo no subúrbio carioca

A festa de São Jorge: uma observação participante do culto ao santo no subúrbio carioca

Comentários desativados em A festa de São Jorge: uma observação participante do culto ao santo no subúrbio carioca

A proposta deste trabalho tem como objeto de estudo a festa de são Jorge,
realizada no bairro de Quintino Bocaiúva, o rito, o culto e o bem simbólico através
das relações sociais de proximidade que ela produz no espaço físico da Igreja e
suas imediações.

PORTO (CRI)ATIVO: um estudo de caso da antiga fábrica Bhering

PORTO (CRI)ATIVO: um estudo de caso da antiga fábrica Bhering

Comentários desativados em PORTO (CRI)ATIVO: um estudo de caso da antiga fábrica Bhering

Utilizando como estudo de caso a antiga fábrica Bhering, localizada na região portuária da cidade do Rio de Janeiro e hoje transformada em espaço de criação e vivência artístico-cultural, esse trabalho se propõe analisar um dos processos de reestruturação urbana advindas de etapas socioeconômicas do século XX: o planejamento estratégico urbano, visto como um plano para promover a ascensão econômica de cidades através da reconfiguração desenvolvida nelas, tendo como base alguns pontos estratégicos. Tal planejamento, em andamento no atual mandato do prefeito Eduardo Paes, na cidade do Rio de Janeiro, concretiza-se, em parte, através do projeto Porto Maravilha, que pretende colocar a região portuária num patamar “global”. Estabelecendo na região uma dinâmica de competitividade e lucratividade para além das reais necessidades, o projeto Porto Maravilha coloca a cultura à disposição das cidades, utilizando, como uma das estratégias de atração de empresas e novos moradores, equipamentos culturais e projetos conectados à Economia Criativa.

UM BUMBA-BOI CARIOCA: Memória e Identidade Maranhense em Parada de Lucas

UM BUMBA-BOI CARIOCA: Memória e Identidade Maranhense em Parada de Lucas

Comentários desativados em UM BUMBA-BOI CARIOCA: Memória e Identidade Maranhense em Parada de Lucas

O presente trabalho traz uma análise sobre a memória e a identidade cultural do grupo Associação Folclórica Bumba-meu-boi Brilho de Lucas, formado por migrantes maranhenses residentes no município do Rio de Janeiro desde as décadas de 1970 e 80. O grupo realiza há mais de 25 anos a festa do bumba-boi no bairro de Parada de Lucas, zona norte da cidade, sempre no período junino. A pesquisa irá analisar os seguintes aspectos: os ancoradouros da memória do grupo em relação à terra natal e a constituição de sua memória coletiva, fundamental para a continuidade da festa e do grupo; a manutenção de uma identidade cultural maranhense na cidade do Rio de Janeiro; a articulação do Brilho de Lucas com outros grupos de migrantes realizadores de manifestações da cultura popular maranhense na cidade.

O uso da cultura como recurso para uma mobilização social no território periférico.

O uso da cultura como recurso para uma mobilização social no território periférico.

Comentários desativados em O uso da cultura como recurso para uma mobilização social no território periférico.

Esta monografia investiga a relação da Cultura com os territórios periféricos, bem como os sujeitos e processos sociais que permeiam essa relação. O Instituto Raízes em Movimento, localizado no Complexo do Alemão – Rio de Janeiro será o objeto de estudo desse trabalho e ilustrará como as práticas culturais são utilizadas como recurso para uma mobilização social.