NITERÓI E SEU “CAMINHO” PARA A MODERNIZAÇÃO.

NITERÓI E SEU “CAMINHO” PARA A MODERNIZAÇÃO.

Comentários desativados em NITERÓI E SEU “CAMINHO” PARA A MODERNIZAÇÃO.

Este trabalho tem como foco o estudo do Caminho Niemeyer e sua relação com a cidade de Niterói e os moradores desta, através dos conceitos de território e territorialidades. Inicia-se pela análise dos planos urbanísticos aplicados na cidade desde o século XIX até a construção do Caminho. Dessa forma, o trabalho traz discussões sobre as atuais intervenções urbanísticas e os novos modelos de cidade e suas consequências sociais, tais como a espetacularização dos espaços das cidades e o marketing urbano ou city-marketing. Apresenta, também, críticas sobre o objeto deste trabalho, olhando-o sob a luz da sociabilidade e do pertencimento, questionando sua função social e cultural.

VILA MIMOSA: O lugar que não estava lá

VILA MIMOSA: O lugar que não estava lá

Comentários desativados em VILA MIMOSA: O lugar que não estava lá

O presente estudo vem expor um recorte da remoção da Vila Mimosa, zona de
prostituição do Rio de Janeiro, da Cidade Nova e sua posterior instalação, na Rua
Sotero dos Reis, na Praça da Bandeira e de que modo o estabelecimento de uma
área de prostituição impacta a comunidade que a recebe. Para realização da
pesquisa foram utilizados como referenciais teóricos autores que desenvolveram
conceitos e métodos de estudos culturais e antropologia urbana. A pesquisa de
campo e vivência do pesquisador na cartografia do encontro entre quem já estava lá
e quem chegou possibilitou a captura de depoimentos que apontam para um retrato
do comportamento desta comunidade e de como se conjugam as identidades antes e
depois da instalação da zona de prostituição na localidade em questão.

QUEM É DO MÉIER NÃO BOBÉIER.

QUEM É DO MÉIER NÃO BOBÉIER.

Comentários desativados em QUEM É DO MÉIER NÃO BOBÉIER.

Análise da política de gestão do Imperator – Centro Cultural João Nogueira, a partir da territorialidade e da construção de identidades no Méier.

Uma Nova Friburgo: As transformações de seu cenário cultural

Uma Nova Friburgo: As transformações de seu cenário cultural

Comentários desativados em Uma Nova Friburgo: As transformações de seu cenário cultural

O tema proposto para análise como conclusão do curso de graduação em Produção Cultural é a trajetória da cidade de Nova Friburgo desde sua fundação até a atualidade após o desastre natural ocorrido em decorrência de fortes chuvas em janeiro de 2011. O desenvolvimento do trabalho se dá através de pesquisas sobre o histórico da Cidade, buscando compreender a relevância do município, a trajetória cultural e a dinâmica desse setor, o papel da gestão cultural, identificando potencialidades, e propondo diretrizes. Há também análises do cenário cultural da Cidade; os impactos nos espaços culturais e de entretenimento; as políticas e iniciativas voltadas para o setor no âmbito público e privado; na tentativa de compreender e vislumbrar um futuro a partir da reconstrução de toda uma identidade local. Como se trata de um trabalho tão recente e de poucas referências, não há pretensão de expô-lo como concluído, mas espera-se que seu conteúdo reúna material substancial para futuras análises e pesquisas.